Sábado, 16 de Janeiro de 2010

HOMENAGEM

 

 

A TRANSPOSIÇÃO
ESTE POST. É DE AUTORIA DE UMA GRANDE AMIGA, POR QUEM TENHO UMA GRANDE ADMIRAÇÃO. aUTORA DO BLOG.(PROSA POÉTICA). E quis EU DE PROPÓSITO, REPUBLICÁ-LO PARA SER SURPREZA, SEM A SUA AUTORISAÇÃO, CORRENDO OS RISCOS DE UMA SAÑÇÃO, QUE CUMPRIREI COM DEVOÇÃO SE TAL FOR A SUA vontade. Que se encontra Algures No Brasil, Muito doente. Para ti os meu desejo de recuperação muito rápidas. Amiga: PORQUE ENTENDI, QUE ESTE POEMA, é GRANDE DE MAIS NO SEU CONTEÚDO E NOBREZA, PARA FICAR CONFINADO A UM SÓ BLOG. Por isso decidi republicá-lo, de surpresa, espero que agradável para ti. ESPERO DE TI A TUA COMPEENSÃO mARIA lUÍSA, E TAMBÉM O TEU PERDÃO, POR ESTA MINHA OUSADIA, QUE FOI COMETIDA COM todo o AMOR E CARINHO, que tu mereces, Em TUA HOMENAGEM. beijinho e melhoras. Eduardo. P. S. Desculpa-me não mostrar a imagem a que o poema faz referência não consegui. fica aqui o teu url para quem queira ver.
http://prosa-poetica.blogs.sapo.pt/
 
Quinta-feira, 7 de Janeiro de 2010
NÃO OUÇO as VOZES
 
 
 Imagem Internet / Salvador Dalí
 
 
 
Hoje não ouço as vozes,
Vou sem rumo
Tão grande o Mundo
E países tão distantes…
 
Hoje não ouço as vozes,
As vozes daquele tempo.
 
Hoje estou unida a ti,
Desejosa de ti
Do teu amor
Flores molhadas
Junto a mim.
 
Hoje sou magia e esplendor,
Num mundo de fogueiras acesas
No mistério de quem sou.
 
Que te vou dizer
Se me interrogas
Acerca de tudo?
 
Conheço as sombras,
Conheço as luas,
Conheço assombros,
Conheço o amor
À distância
E cubro minha nudez,
Com esse amor.
 
Te beijo,
Te abraço,
Te amo,
Te desejo,
Te quero…
Me perco
Em teus braços.
 
A fogueira acendeu
Eu sou a fogueira,
E ardo nos teus braços
Do teu desejo e afecto,
De meus abraços.
 
E quando a apagar
Apago com amor,
A perdição
De uma vida!
E nesse instante
Torno a ouvir,
As vozes
Daquele tempo.
 
Mas hoje, não…
Hoje és tu e eu!
 
 
Maria Luísa O. M. Adães

publicado por Fisga às 09:34
link do post | comentar | ver comentários (23) | favorito
|
Quinta-feira, 20 de Agosto de 2009

ISTO É AMAR

 

 

HOMENAGEM
Este poema, da autoria de uma grande mulher, poeta, e amiga é pertença por direito de http://chicailheu.blogs.sapo.pt Em:
Http://osmeuspoemaseoutros.blogs.sapo.pt/
É uma mulher que sofre e cala enquanto pode. Mas que como tudo na vida tem limites.
A republicação deste poema é feita por mim, com a sua autorização. E porque ela merece esta pequena homenagem, pelo seu coração de oiro e mulher de garra, eu lhe pedi se podia publicar no meu blog. Este poema que é bem ilustrativo do que esta grande Sra. É capaz. Por isso o publico com grande prazer. Parabéns amiga Chica, porque tu és uma força viva da Natureza. Por isso o meu beijinho. Eduardo.
EU SOU POESIA!
 
Eu sou poesia
Eu sou mulher
Um misto de realidade
E de fantasia
Sou tudo o que eu quiser!
 
Eu sou poesia
E posso falar
Porque ao poeta
Ninguém pode calar!
 
Eu sou poesia
Que fala na guerra
Que sofre e fala
Na fome e na miséria!
 
Eu sou poesia
Que fala no amor,
Que ri e que chora
E que sente dor!
 
Eu sou poesia
Nas rimas que faço
Partilho com outros
Ternura e abraço!
 
 Eu sou poesia
Nas telas que pinto
Porque na pintura
Retrato o que sinto!
 
Eu sou poesia
Escultura escrita
Melodia antiga
Em pauta bendita!
 
Eu sou poesia
Eu sou esperança
Eu sou música
Melodia e dança!
 
Eu sou poesia
Eu tudo o que digo
Apenas escrevo
O que nasce
Dentro de mim!
 
 CHICA
 

publicado por Fisga às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (18) | favorito
|

.quem sou eu

.pesquisar

 

.Agosto 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.posts recentes

. HOMENAGEM

. ISTO É AMAR

.arca_animais-micros...

.tags

. todas as tags

.favoritos

. UMA FOTOGRAFIA DE ALICE B...

. QUE SEJA, ENTÃO, PARA SEM...

. OBRIGADA, TAMBÉM POR ISTO...

. ALGUNS BRITOS E SOUSAS

. GRANDE MERGULHO

. No mistério do sem fim

. Viver como as flores

. Mar do Desespero

. Dia dos namorados

. Queria ser a força...

.links

.Visitas

 

.arca_animais-micros...

blogs SAPO

.subscrever feeds