Sexta-feira, 27 de Fevereiro de 2009

AUGUSTO GIL

BALADA DA NEVE
Batem leve, levemente,
como quem chama por mim.
Será chuva? Será gente?
Gente não é, certamente
e a chuva não bate assim.É talvez a ventania:
mas há pouco, há poucochinho,
nem uma agulha bulia
na quieta melancolia
dos pinheiros do caminho..
Quem bate, assim, levemente,
com tão estranha leveza,
que mal se ouve, mal se sente?
Não é chuva, nem é gente,
nem é vento com certeza.
Fui ver. A neve caía
do azul cinzento do céu,
branca e leve, branca e fria...
. Há quanto tempo a não via!
E que saudades, Deus meu!
Olho-a através da vidraça.
Pôs tudo da cor do linho.
Passa gente e, quando passa,
os passos imprime e traça
na brancura do caminho..
Fico olhando esses sinais
da pobre gente que avança,
e noto, por entre os mais,
os traços miniaturais
duns pezitos de criança...
E descalcinhos, doridos...
a neve deixa inda vê-los,
primeiro, bem definidos,
depois, em sulcos compridos,
porque não podia erguê-los!
Que quem já é pecador
sofra tormentos, enfim!
Mas as crianças, Senhor,
porque lhes dais tanta dor?!...
Porque padecem assim?!...
E uma infinita tristeza,
uma funda turbação
entra em mim, fica em mim presa.
Cai neve na Natureza. e cai no meu coração.
Augusto Gil
tirado da net:

 


publicado por Fisga às 09:00
link do post | comentar | ver comentários (20) | favorito
Quarta-feira, 25 de Fevereiro de 2009

DESCULPAS PUBLICAS

Este É o meu pedido de desculpas às pessoas a quem eu fiz oferta do troféu do amigo, e bem assim a todas as pessoas que me lêem ou visitam. Pelo erro me penitencio. Pois foi publicado com alterações por eu não ter conseguido fazer como deve ser feito, entretanto consegui fazer mais ou menos bem e atrevi-me alterar para a forma mais correcta.  


publicado por Fisga às 22:10
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

O TROFEU DA AMIZADE

O Toféu do Amigo foi-me atribuído pela minha querida amiga,  Maria Luisa.  Grato
http://prosa-poetica.blogs.sapo.pt/
te fico amiga! O Troféu do Amigo é atribuído a blogs extremamente charmosos. Estes blogueiros têm o objectivo de se achar e serem amigos e não estão interessados em se auto promover. A nossa esperança é que quando os laços desse troféu são cortados ainda mais amizades sejam propagadas. Devo entregar o troféu a cinco blogs que devem escolher cinco outros blogs e incluir este texto junto com seu troféu. E os escolhidos são:
 
Miguxa                      http://0meucorreio.blogs.sapo.pt/
 
AZORIANA                http://silvarosamaria.blogs.sapo.pt/
 
FREESTYLE              http://free-stile.blogs.sapo.pt/
 
MARIPOSSA               http://maripossa.blogs.sapo.pt/
 
UM BREVE OLHAR   http://umbreveolhar.blogs.sapo.pt/
 
 

 


publicado por Fisga às 22:00
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito

EU

 

A Morte o Amor a Vida
Julguei que podia quebrar a profundeza a
imensidade
Com o meu desgosto nu sem contacto sem eco
Estendi-me na minha prisão de portas virgens
Como um morto razoável que soube morrer
Um morto cercado apenas pelo seu nada
Estendi-me sobre as vagas absurdas
Do veneno absorvido por amor da cinza
A solidão pareceu-me mais viva que o sangue·
Queria desunir a vida
Queria partilhar a morte com a morte
Entregar meu coração ao vazio e o vazio à vida
Apagar tudo que nada houvesse nem o vidro
 [nem o orvalho
Nada nem à frente nem atrás nada inteiro
Havia eliminado o gelo das mãos postas
Havia eliminado a invernal ossatura
Do voto de viver que se anula·
Tu vieste o fogo então reanimou-se
A sombra cedeu o frio de baixo iluminou-se de
[estrelas
E a terra cobriu-se
Da tua carne clara e eu senti-me leve
Vieste a solidão fora vencida
Eu tinha um guia na terra
Sabia conduzir-me sabia-me desmedido
Avançava ganhava espaço e tempo
Caminhava para ti dirigia-me incessantemente
[para a luz
A vida tinha um corpo a esperança desfraldava
 [as suas velas
O sono transbordava de sonhos e a noite
Prometia à aurora olhares confiantes
Os raios dos teus braços entreabriam o nevoeiro
A tua boca estava húmida dos primeiros orvalhos
O repouso deslumbrado substituía a fadiga
E eu adorava o amor como nos meus primeiros
 [tempos
Os campos estão lavrados as fábricas irradiam
E o trigo faz o seu ninho numa vaga enorme
A seara e a vindima têm inúmeras testemunhas
Nada é simples nem singular
O mar espelha-se nos olhos do céu ou da noite
A floresta dá segurança às árvores
E as paredes das casas têm uma pele comum
E as estradas cruzam-se sempre
Os homens nasceram para se entenderem
Para se compreenderem para se amarem
Têm filhos que se tornarão pais dos homens
Têm filhos sem eira nem beira
Que hão-de reinventar o fogo
Que hão-de reinventar os homens
E a natureza e a sua pátria
A de todos os homens
A de todos os tempos.·
Paul Eluard, in "Algumas das Palavras"
Tradução de António Ramos Rosa
TIRADO DA NET.

publicado por Fisga às 09:00
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Segunda-feira, 23 de Fevereiro de 2009

SEM QUALIDADE

O HOMEM SEM QUALIDADES
A maior parte das pessoas tem um corpo que, ou é desleixado, formado e deformado pelo acaso, e que parece quase não ter relação com o seu espírito e o seu carácter, ou então é recoberto pela máscara do desporto que lhe dá o aspecto daquelas horas em que ele tirou férias de si próprio. Essas são aquelas horas em que um homem desfia o sonho diurno da sua boa figura, que foi buscar às revistas do grande mundo da elegância e da beleza. Todos esses jogadores de ténis, cavaleiros e corredores de automóveis, bronzeados e musculosos, com ares de baterem todos os recordes, apesar de, em geral, dominarem apenas razoavelmente a sua especialidade, essas damas bem vestidas ou bem despidas, sonham sonhos diurnos, e só se distinguem do comum dos mortais que têm sonhos despertos porque o seu sonho não permanece encerrado no cérebro, mas sai para o ar livre, como projecção da alma das massas, configurada de forma corpórea, dramática, quase apetecia dizer, na linguagem de fenómenos ocultos mais que suspeitos, ideoplástica. Mas têm em comum com os vulgares construtores de fantasias uma certa banalidade dos seus sonhos, tanto no que se refere ao conteúdo como à proximidade do estado de vigília.
Robert Musil, in 'O Homem sem Qualidades' TIRADO DA NET.

 


publicado por Fisga às 09:00
link do post | comentar | ver comentários (19) | favorito
Sábado, 21 de Fevereiro de 2009

A FELICIDADE

 

 

NINGUEM É FELIZ, QUANDO TEME A SUA FELICIDADE II
O nosso espírito é mais poderoso do que toda a espécie de fortuna, ele é quem conduz a nossa vida no bom ou no mau sentido, é nele que está a causa de nós sermos felizes ou desgraçados. Um homem mau faz tudo redundar em mal, mesmo quando aparentemente as coisas se apresentavam excelentes; um espírito justo e íntegro sabe corrigir os erros da fortuna, sabe, pela sua mesma sabedoria, temperar as ocorrências adversas e difíceis de suportar; um tal espírito é capaz de acolher a felicidade com gratidão e temperança, de enfrentar a adversidade com firmeza e coragem. Imaginemos um homem experiente, que não faz nada sem ter analisado totalmente a questão, que nunca tenta nada que esteja acima das suas forças: tal homem nunca alcançará aquele supremo e completo bem acima de todas as contingências se não se sentir seguro em face da insegurança. Se observares os outros (já que costumamos ser melhores juízes em causa alheia), ou se te analisares a ti próprio sem parcialidade, serás forçado a admitir que aqueles bens que tens por desejáveis e preciosos te serão inúteis se previamente não te preparares para a falibilidade do acaso e do condicionalismo que o acompanha.

 


publicado por Fisga às 00:00
link do post | comentar | ver comentários (17) | favorito
Quinta-feira, 19 de Fevereiro de 2009

O DESAFIO

Na Terça Feira Dia 17 de Fevereiro Fui Desafiado Pela amiga Maria Luísa Adães. Para publicar qual a minha definição do (AMOR.) A Quem agradeço o convite. Só hoje consegui, roubando tempo a outras tarefas, por isso peço desculpa, pôr mãos `a obra: Não é tarefa fácil a definição do amor. 1º - O amor é um sentimento que se manifesta de várias maneiras.
2º - Nem toda a gente tem o mesmo conceito de amor, ou seja o amor não é entendido por toda a gente da mesma forma.
3º - Há muitos géneros de amor. O amor Paternal, maternal, ou filial, não é o mesmo género de amor, que o amor a um, Objecto Ex uma jóia.
4º - Há um outro tipo de amor, que eu não entendo como tal, mas enfim. Estou a falar do Amor sexual. A que eu chamo amor carnal ou amor à carne, porque não se ama a carne da mesma forma que se ama a pessoa dona da carne. Num caso o prazer sentido é um prazer sentimental, emocional, espiritual se quisermos. No outro caso é um prazer também ele carnal, faz parte dos prazeres da carne, sendo possivelmente o mais forte de todos. Se a prática sexual fosse de facto fazer amor, então aqueles escravos que Foram escolhidos só para serem reprodutores, esses teriam feito amor suficiente para todo Mundo e não se justificaria mais que houvesse tanta gente com falta de amor. É uma forma De amor sim, mas por isso eu disse que o amor se manifesta de várias formas. Para mim, o amor realmente digno do nome, é o amor citado no ponto 3º esse sim é o AMOR digno desse nome, muito semelhante é também o amor entre as pessoas, Independentemente da afinidade entre si, da idade, do sexo da cor ou da raça. Esse sim é Digno de ser chamado de amor. Aqui fica o meu entendimento do que é o amor. Certo ou errado, discutível, com certeza, mas é o meuAgora vou nomear 3 amigas, para fazerem também a sua definição de amor. São elas:
Poetaporkedeusker    https://blogs.sapo.pt/userinfo.bml?user=mumbles
Miguxa                         https://blogs.sapo.pt/userinfo.bml?user=0meucorreio

Estrelinha                    https://blogs.sapo.pt/userinfo.bml?user=lobasilveira


publicado por Fisga às 19:00
link do post | comentar | ver comentários (17) | favorito

A FELICIDADE

NINGUEM É FELIZ, QUANDO TEME A SUA FELICIDADE I
Ninguém é feliz quando treme pela sua felicidade. Não se apoia em bases sólidas quem tira a sua satisfação de bens exteriores, pois acabará por perder o bem-estar que obteve. Pelo contrário, um bem que nasce dentro de nós é permanente e constante, e vai sempre crescendo até ao nosso último momento; todos os demais bens ante os quais se extasia o vulgo são bens efémeros. "E então? Quer isso dizer que são inúteis e não podem dar satisfação?" É evidente que não, mas apenas se tais bens estiverem na nossa dependência, e não nós na dependência deles. Tudo quanto cai sob a alçada da fortuna pode ser proveitoso e agradável na condição de o seu beneficiário ser senhor de si próprio em vez de ser servo das suas propriedades. É um erro pensar-se, lúcido, que a fortuna nos concede o que quer que seja de bom ou de mau; ela apenas dá a matéria com que se faz o bom e o mau, dá-nos o material de coisas que, nas nossas mãos, se transformam em boas ou más.

Tirado da nét.


publicado por Fisga às 09:00
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Terça-feira, 17 de Fevereiro de 2009

A GRANDE LIÇÃO

OS PEDINTES.
Uma mulher regava o jardim da sua casa e viu três idosos com os seus anos de experiência em frente ao seu jardim. Ela não os conhecia e disse-lhes: Penso que não vos conheço, mas devem ter fome. Por favor entrem na minha casa para que comam algo. Eles perguntaram:
O homem da casa está? -Não, respondeu ela, não está. -Então não podemos entrar, disseram eles. Ao entardecer, quando o marido chegou, ela contou-lhe o sucedido. -Então diz-lhes que já cheguei e convida-os a entrar. A mulher saiu e convidou os homens a entrar na sua casa.
-Não podemos entrar numa casa os três juntos, explicaram os velhos. -Porquê? Quis saber ela.
Um dos homens apontou para outro dos seus amigos e explicou: O nome dele é Riqueza.
Depois apontou para o outro. O nome dele é Êxito e eu chamo-me Amor. Agora vai para dentro e decide com o teu marido qual de nós três desejam convidar para a vossa casa. A mulher entrou em casa e contou ao seu marido o que eles lhe disseram. O homem ficou muito feliz: Que bom! Já que é assim então convidemos a Riqueza, que entre e encha a nossa casa.
A sua esposa não estava de acordo: Querido, porque não convidamos o Êxito?
A filha do casal estava a escutar da outra esquina da casa e veio a correr. Não seria melhor convidar o Amor? O nosso lar ficaria então cheio de amor. Escutemos o conselho da nossa filha, disse o esposo à sua mulher. Vai lá fora e convida o Amor para que seja nosso hóspede. A esposa saiu e perguntou-lhes: Qual de vocês é o Amor?
Por favor entre e seja o nosso convidado. O Amor levantou-se da sua cadeira e começou a avançar para a casa. Os outros 2 também se levantaram e seguiram-no. Surpreendida, a mulher perguntou à Riqueza e ao Êxito: Eu só convidei o Amor, porque vêm vocês também? Os homens responderam juntos: -Se tivesses convidado a Riqueza ou o Êxito os outros 2 permaneceriam cá fora, mas já que convidaste o Amor, aonde ele vá, nós vamos com ele. Onde houver amor, há também riqueza e êxito. O MEU DESEJO PARA VÓS. Onde haja dor, desejo-vos Paz e Felicidade. Onde haja falta de fé em vós mesmo, desejo-vos uma confiança renovada na capacidade para superá-la.
Onde haja medo, desejo-vos amor e sabedoria.

 


publicado por Fisga às 09:00
link do post | comentar | ver comentários (45) | favorito
Sábado, 14 de Fevereiro de 2009

TROVA DO VENTO QUE PASSA

http://www.youtube.com/watch?v=T0JuEY_MHGI

 

 

«Trova do Vento que Passa»
Pergunto ao vento que passa
notícias do meu país
e o vento cala a desgraça
o vento nada me diz.
Pergunto aos rios que levam
tanto sonho à flor das águas
e os rios não me sossegam
levam sonhos deixam mágoas.
Levam sonhos deixam mágoas
ai rios do meu país
minha pátria à flor das águas
para onde vais? Ninguém diz.
Se o verde trevo desfolhas
pede notícias e diz
ao trevo de quatro folhas
que morro por meu país.
Pergunto à gente que passa
por que vai de olhos no chão.
Silêncio -- é tudo o que tem
quem vive na servidão.
Vi florir os verdes ramos
direitos e ao céu voltados.
E a quem gosta de ter amos
vi sempre os ombros curvados.
E o vento não me diz nada
ninguém diz nada de novo.
Vi minha pátria pregada
nos braços em cruz do povo.
Vi minha pátria na margem
dos rios que vão pró mar
como quem ama a viagem
mas tem sempre de ficar.
Vi navios a partir
(minha pátria à flor das águas)
vi minha pátria florir
(verdes folhas verdes mágoas).
Há quem te queira ignorada
e fale pátria em teu nome.
Eu vi-te crucificada
nos braços negros da fome.
E o vento não me diz nada
só o silêncio persiste.
Vi minha pátria parada
à beira de um rio triste.
Ninguém diz nada de novo
se notícias vou pedindo
nas mãos vazias do povo
vi minha pátria florindo.
E a noite cresce por dentro
dos homens do meu país.
Peço notícias ao vento
e o vento nada me diz.
Mas há sempre uma candeia
dentro da própria desgraça
há sempre alguém que semeia
canções no vento que passa.
Mesmo na noite mais triste
em tempo de servidão
há sempre alguém que resiste
há sempre alguém que diz não.
MANUEL aLEGRE.
               TIRADO DA NET.

 


publicado por Fisga às 09:00
link do post | comentar | ver comentários (21) | favorito
Quinta-feira, 12 de Fevereiro de 2009

A CORRUSÃO PELO TEMPO

 

 

QUEM DIRIA
Quem diria que ao fim de pouco
Menos de 35 anos tudo isto
Era de novo verdade.
Era uma vez um país
onde entre o mar e a guerra
vivia o mais feliz
dos povos à beira-terra

Onde entre vinhas sobredos
vales socalcos searas
serras atalhos veredas
lezírias e praias claras
um povo se debruçava
como um vime de tristeza
sobre um rio onde mirava
a sua própria pobreza

Era uma vez um país
onde o pão era contado
onde quem tinha a raiz
tinha o fruto arrecadado
onde quem tinha o dinheiro
tinha o operário algemado
onde suava o ceifeiro
que dormia com o gado
onde tossia o mineiro
em Aljustrel ajustado
onde morria primeiro
quem nascia desgraçado
Era uma vez um país
de tal maneira explorado
pelos consórcios fabris
pelo mando acumulado
pelas ideias nazis
pelo dinheiro estragado
pelo dobrar da cerviz
pelo trabalho amarrado
que até hoje já se diz
que nos tempos dos passado
se chamava esse país
Portugal suicidado.

EXTRAÍDO DA NET..

 


publicado por Fisga às 09:00
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
Quarta-feira, 11 de Fevereiro de 2009

O DESAFIO

  

DESAFIO
 
Olá. Fui desafiado pela amiga Alzira Macedo. http://alzira-poesia.blogs.sapo.pt/
 
Para contar 6 coisas sobre a minha pessoa. E cumprir as regras do desafio.
 
As regras são:
 
1º. Linkar o blog da pessoa que me desafiou.
 
2º. Contar as 6 coisas sobre mim, que podem ser coisas aleatórias.
 
3º. Nomear 6 blogs para dar continuação ao desafio.
 
4º. Avisar as pessoas indicadas de que têm um desafio no meu blog.
 
Cumprido o protocolo, vou então tentar dar o meu melhor.
 
1º. Sinto-me sempre muito embaraçado para responder a estas coisas.
 
2º. O meu blog, trouxe-me a alegria que me faltava.
 
3º. Desde que tenho o blog, tornei-me religioso praticante, mas a minha religião ainda não tem Guru.
 
4º. O primeiro mandamento da minha religião, é respeitar toda a gente, religiosamente.
 
5º. Vivo um desapego total ás coisas materiais, apenas quero as essenciais à minha humilde sobrevivência.
 
6º. Sou muito feliz assim, por enquanto.
 
Os 6 blogs a serem nomeados, são os seguintes:
 
Emanuela. http://emanuela.blogs.sapo.pt/
 
Ana. http://quero-ser-feliz.blogs.sapo.pt/
 
Chicailheu. http://chicailheu.blogs.sapo.pt/
 
Maria. http://titabonsai.blogs.sapo.pt/
 
Lolita. http://lolita_haze.blogs.sapo.pt/
 
Miguxa. http://0meucorreio.blogs.sapo.pt/

publicado por Fisga às 19:00
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
Sábado, 7 de Fevereiro de 2009

O PEDIDO

 

 

O PEDIDO
Em homenagem ao grande Filólogo e filosofo Dr. E professor Agostinho da Silva. Que dedicou toda a sua vida aos mais desprotegidos, e que sempre defendeu o apoio voluntarioso aos que dele mais necessitam. Transcrevo, com todo o prazer o texto que se segue a pedido de uma grande amiga de nome Maria Luísa. Com o titulo comentário  
 
https://blogs.sapo.pt/userinfo.bml?user=prosa-poetica
 
E que como se pode constatar está assinado como Maria Luísa de Oliveira Maldonado Adães.              
Comentário
 Olá Fisga,

M.Luísa Adães, deixou um comentário ao comentário
AMOR!... às 02:10, 2009-02-06.

Caso pretenda responder a este comentário, poderá fazê-lo, usando este
link.

Comentário:
Eduardo E se eu tenho tudo, quanto desejo? Se aceito tudo, quanto se me depara? Se entendo os outros, melhor do que a mim própria? Se sofro pelos que sofrem? Se tento auxiliar, quem precisa de auxílio? se escrevo para mim e para todos que me entendem? Se sou leal aos amigos e tolero os inimigos? Não peço nada e do Nada vivo o Tudo? E aí tens os meus oito defeitos; os meus desejos postos em prática! Aceita-me como sou, desta forma, Deste modo E perdoa-me! Transcreve para o teu blogs o que acabo de escrever, se achares que é digna a minha resposta. Ou não o faças, se não for esse o teu desejo! E agradeço a graça tua e de Alzira-Macedo, no convite que me fazem. Lindo o que pedem! Acabei de responder... ao meu jeito, do meu modo! Com ternura para ti, Eduardo e para Alzira- Macedo. Maria Luísa de Oliveira Maldonado Adães

 


publicado por Fisga às 09:00
link do post | comentar | ver comentários (34) | favorito
Sexta-feira, 6 de Fevereiro de 2009

CARTA A UM AMIGO VÍDEO

 

http://www.youtube.com/watch?v=2LCuRGTMRwE

 

 

A LUA
A lua é clara 
o sol tem rasto vermelho
o mar um grande espelho
onde os dois se vão  mirar
rosa amarela quando murcha
perde o cheiro
o amor é bandoleiro
pode até custar dinheiro
é flor que não tem cheiro
e todo mundo quer cheirar"
 
 
Sorte do que é lembrado
E vive sempre aconchegado
De quem recebe carinho
Mesmo ele sendo pouquinho

Sorte de quem é feliz
E consegue dar felicidade
Sorte daquele que diz
Que ama de verdade

 

 


publicado por Fisga às 09:00
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Quinta-feira, 5 de Fevereiro de 2009

OS MEUS DESEJOS

 

 

Este desafio, foi-me proposto pela amiga Ana.
http://premiosemedalhas.blogs.sapo.pt
Este desafio consiste em revelar 8 desejos, expor as regras e convidar 8 amigas/os a fazer o mesmo.
As regras consistem em, para alem das 3 já referidas, ir ao blog dos 8 amigas/os escolhidas/os e avisa-las/os que têm um desafio à sua espera aqui neste blog.
Os meus 8 desejos são:
1º - Recuperar a minha saúde, que se encontra um pouco ameaçada.
2º - Que nunca falte na casa de ninguém,  Pão, saúde, paz e amor.
3º - Que os homens acordem para a urgência de salvar o nosso planeta, daquilo que pode ser amanhã a morte lenta e miserável, dos nossos netos bisnetos e gerações seguintes até extinção total. E que é a poluição, em toda a sua extensão.
4º - O final incondicional de todo o tipo de guerras, ao nível mundial.
5º - Que a solidariedade humana, esteja bem presente, nos meus 4 desejos anteriores. 
6º - Que todas as pessoas do meu meio, familiares e amigas, sejam para sempre muito felizes.
7º - Que todas as religiões se demarquem de uma vez por todas de todos os tipos de governação, que não seja a da sua igreja.
8º - Que eu não seja mais atormentado com os sinais dos tempos que se avizinham, e que os homens de boa vontade se mostrem disponíveis e colaboradores, para minorar o sofrimento no mundo. 
Podem parecer extravagantes, os meus sonhos, mas não são. Com estes sonhos realizados, eu seria muito feliz.
 Os desafiados a confessarem-se, são:
Alzira Macedo.              https://blogs.sapo.pt/userinfo.bml?user=alzira-macedo
Azoriana.                       https://blogs.sapo.pt/userinfo.bml?user=azoriana
Maria                              https://blogs.sapo.pt/userinfo.bml?user=blablaba
Chicailheu.                    https://blogs.sapo.pt/userinfo.bml?user=chicailheu
Emanuela.                    https://blogs.sapo.pt/userinfo.bml?user=emanuela
Estrelinha                     https://blogs.sapo.pt/userinfo.bml?user=lobasilveira
Umbreveolhar             https://blogs.sapo.pt/userinfo.bml?user=umolharatento
M. L. Adães                 https://blogs.sapo.pt/userinfo.bml?user=prosa-poetica

 


publicado por Fisga às 12:54
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito

.quem sou eu


. ver perfil

. seguir perfil

. 41 seguidores

.pesquisar

 

.Agosto 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.arca_animais-micros...

.arquivos

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Setembro 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.tags

. todas as tags

.favoritos

. UMA FOTOGRAFIA DE ALICE B...

. QUE SEJA, ENTÃO, PARA SEM...

. OBRIGADA, TAMBÉM POR ISTO...

. ALGUNS BRITOS E SOUSAS

. GRANDE MERGULHO

. No mistério do sem fim

. Viver como as flores

. Mar do Desespero

. Dia dos namorados

. Queria ser a força...

.links

.Visitas

 

.arca_animais-micros...

SAPO Blogs

.subscrever feeds