Terça-feira, 19 de Agosto de 2008

OUTROS TEMPOS OUTRAS VIDAS

 

OS VERDES ANOS

Há quem lhes chame assim. Os verdes anos, mas a verdade é que verdes ou maduros, são os anos de ouro, de qualquer ser humano. Aqueles anos em que tudo serve de divertimento, tudo serve para dar prazer ao corpo, e vida à alma. Quem não se lembra de quando era jovem, e após um duro dia de trabalho, chegava a casa tomava um bom banho e comia algo à pressa e lá vai ele ou ela a caminho da sociedade ou dos salões de baile como os Alunos de Apolo, o Arroios e outros para dar o seu pezinho de dança, não havia cansaço que se manifesta-se. Hoje como tudo é diferente. Ou se vai ver a novela, ou outra coisa qualquer. Ou então vão para a curte Que pode acontecer nos mais variados locais desde a própria casa até à discoteca, mas a curte de hoje não parece nada igual à curte do meu tempo. Agora parei e pensei… Eu bem vistas as coisas, não me importava nada de estar agora em idade de curtir. Era sinal que era jovem. Mas é daquelas coisas que já estão remediadas por natureza. E se alguém espera que eu me mate como o meu amigo fez, quando se lhe partiu mola. Então pode esperar sentado, que é para não se cansar muito. 

 


publicado por Fisga às 09:00
link do post | comentar | favorito
11 comentários:
De Maria João Brito de Sousa a 19 de Agosto de 2008 às 15:06
Sabes, meu amigo, eu nunca fui muito de "curtes". Casei-me cedo, aos 19 e divorciei-me tarde, aos 46... mas, pensando bem, as maiores "curtes" que estou a ter, são estas agora, com os meus poemas e as minhas pinturas! Claro que seria óptimo se tivesse um pouco mais de saúde e alguns euros no bolso, mas eu gosto mesmo muito daquilo que faço, por isso estas é que são as minhas "curtes"! E ninguém me convence do contrário!
Um abraço!


De Fisga a 19 de Agosto de 2008 às 18:00
Olá amiga Poeta. Este termo curte, é da juventude do nosso tempo. Mas o termo tem implícita uma coisa muito interessante e real. (Vamos curtir a vida) isto diz que a nossa grande e melhor curte é o que nos realiza como seres humanos, o que nos faz felizes, logo tu vives uma curte constante, bonita e bela, que Deus te dê a possibilidade de a viveres por muitos e longos anos. Um abraço.


De Maria João Brito de Sousa a 19 de Agosto de 2008 às 22:08
Foi isso mesmo que eu pensei, embora haja alguma dureza em termos de dificuldades materiais e de saúde.
Mas que me sinto feliz, apesar de todas essas dificuldades, ah, isso sinto!
Espero ter ainda alguns aninhos para curtir e produzir, porque parece que são mesmo sinónimos para mim!
Um abraço amigo!


De Fisga a 20 de Agosto de 2008 às 12:23

Olá amiga Maria João. Desculpa chamar-te assim, mas eu adoro o nome de Maria João, e não é por mais nada, absolutamente. Amiga. Eu penso que todos nós gostaríamos de desfrutar da vida tudo o que ela tem de melhor, que mais prazer nos dá tirar dela, e pelo maior numero possível de anos, mas como não somos nós que decidimos, vamos gozando um dia de cada vez, o melhor que podermos. Um abraço.


De Maria João Brito de Sousa a 20 de Agosto de 2008 às 12:31
É assim mesmo, amigo! E podes chamar-me Maria João à vontade porque eu até gosto do meu nome. Olha, hoje publiquei duas quadras inéditas do meu avô no http://antoniodesousa.blogs.sapo.pt
Penso que vais gostar delas, embora o meu avô estivesse, nessa altura, profundamente deprimido pela morte da minha avó, que partiu com apenas 60 anos de idade.
Abraço.


De Fisga a 20 de Agosto de 2008 às 16:29
Olá Maria João: Fui logo ler as quadras de que me falaste. Adorei e percebo agora muito bem porque é que tens tanto orgulho do teu pai, ele também deve ter muito orgulho de ti, porque tu sabes honra-lo como ele merece. Adicionei as quadras aos meus favoritos. Gosto muito quando vou ver a minha página de abrir ás vezes aleatoriamente, um desses posts, e ler para me lembrar de alguns amigos especiais como tu.


De Maria João Brito de Sousa a 20 de Agosto de 2008 às 17:20
Muito obrigada, amigo Eduardo. Esse poeta era meu avô, mas cresci na sua casa e era como um pai para mim.
Abraço!


De Emanuela a 20 de Agosto de 2008 às 00:50
Olha amigo, pois eu apesar das grandes dificuldades que vivi ainda posso dizer que curti um pouco da vida, fui ousada, de coisas que nunca vou me arrepender de ter feito, muito mais de arrepender-me do que não fiz. E confesso-te que tem sido difícil aceitar a idade... ah, se desse pra voltar atrás, sem dúvida iria curtir ainda mais.
Beijinhos


De Fisga a 20 de Agosto de 2008 às 12:35
Olá amiga emanuela. Se pudesse voltar a traz, curtiria ainda mais, citação tua. É sempre assim, Quando olhamos para traz, temos sempre pena de algo que podia-mos ter feito, e agora já não é possível. É muito triste, quando pensamos que queríamos fazer algo e não pudemos porque o comboio que nos levaria ao local, já não volta a passar. Eu de coração nas mãos te digo com os meus 72 anos de idade arrependo-me Só de duas coisas que podia ter feito de outra forma e não fiz, e como sempre agora é tarde, o comboio já passou. Por isso hoje não êxito mais em fazer o que me possa dar prazer fazer. Um beijo.


De MIGUXA a 20 de Agosto de 2008 às 14:00
Olá amigo,

"curtir" é sempre bom, independentemente daquilo que é objecto da nossa curtição! Por isso meu amigo há sempre, tem de haver sempre algo que nos estimule, ou então a vida não tem sentido. Certo?
Força, é preciso aproveitar cada minuto que o futuro não está nas nossas mãos mas, podemos ajudar-nos a cumpri-lo.

Xi-kor
Margarida


De Fisga a 20 de Agosto de 2008 às 15:56
Olá Miguxa: Tu és mesmo miguxa do fundo do coração. As nossa ideias são cuincidentes em 99,999%, Eu também acho que o dia que nós não curtir-mos nada, é porque a vida parou para nós, e se não parou pode parar, porque já não faz qualquer sentido. Há que aproveitar cada minuto e cada segundo como se fossem os ultimos da nossa vida. Um grande abraço, e curte a vida porque ela éla.


Comentar post

.quem sou eu


. ver perfil

. seguir perfil

. 40 seguidores

.pesquisar

 

.Agosto 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.arquivos

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Setembro 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.tags

. todas as tags

.favoritos

. UMA FOTOGRAFIA DE ALICE B...

. QUE SEJA, ENTÃO, PARA SEM...

. OBRIGADA, TAMBÉM POR ISTO...

. ALGUNS BRITOS E SOUSAS

. GRANDE MERGULHO

. No mistério do sem fim

. Viver como as flores

. Dia dos namorados

. Queria ser a força...

. Letras de canções -Lança ...

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds