Quinta-feira, 10 de Janeiro de 2008

A SAUDADE

 O MEU CARRO VELHO

O meu carro já velhinho

Com o motor já cansado

Já não anda coitadinho

Só vai se for empurrado.

 

Só a andar se sentia bem

Quando era novo o malvado

Não respeitava ninguém

Nem o sinal encarnado.

 

Hoje está arruinado

O meu carro coitadinho

Já está todo empenado

Já não acerta caminho.

 

Perdeu o vício de andar

Só quer descanso o maroto

Já começa a enferrujar

Até o guiador está torto

 

Cheguei a pensar que chatice

Que tinha um pneu furado

Fui ao mecânico e ele disse

Que é o motor já cansado.

 

E um motor novo? Ilusão

Não lhe vai adiantar nada

Ponha gasolina de avião

 E meta-o na auto-estrada.

 

Vou seguir o seu conselho

Ainda me vou sentir gente

Se vir o meu carro velho

Andar como antigamente.

 

Tentei mas não deu nada

Foi apenas um miragem

Só foi bom para a auto-estrada

Que recebeu a portagem.

 

Perante tal desilusão

Desisto já está cansado

Já não tem ignição

Só anda se for empurrado.

 

Já só me resta a saudade

De quando ele andava à farta

Na estrada ou na cidade

Depressa chegava à quarta-feira.

 

Foi reduzindo de tal maneira

Que a quarta já não entrava

Ficava-se pela terceira

E a segunda ás vezes chegava.

 

E mais tarde só a primeira

Era tudo o que conseguia

E não entrava de qualquer maneira

Era só quando ele queria.

 

Agora parou de todo

Vai para o museu o coitado

Andou muito quando era novo

Agora está reformado.

 

Devia ser condecorado

Pelas suas atitudes

Nunca ficou empanado

Nem nos caminhos mais rudes.

          E.G.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


publicado por Fisga às 19:57
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

.quem sou eu


. ver perfil

. seguir perfil

. 41 seguidores

.pesquisar

 

.Agosto 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.arquivos

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Setembro 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.tags

. todas as tags

.favoritos

. UMA FOTOGRAFIA DE ALICE B...

. QUE SEJA, ENTÃO, PARA SEM...

. OBRIGADA, TAMBÉM POR ISTO...

. ALGUNS BRITOS E SOUSAS

. GRANDE MERGULHO

. No mistério do sem fim

. Viver como as flores

. Mar do Desespero

. Dia dos namorados

. Queria ser a força...

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds