Domingo, 7 de Outubro de 2007

PALEONTOLOGIA

 

 

 

A CRITICA DO TRANSFORMISMO

 

I _ Grandes objecções se opõem ao transformismo materialista ou evolucionista. A não hereditariedade das mutilações e dos hábitos mostra que, certos hábitos e mutilações, ainda que repetidos por várias gerações,

 não se transmitem e nem tão-pouco provocam a modificação hereditária do orgam, EX. A deformação do pé das chinesas, operações de circuncisão, entre os judeus, Etc. II - A não estabilidade das raças climáticas, certas modificações devidas aos factores do meio ambiente ou climatérico, que se supõem transmitidas por hereditariedade, parecem ser o somatório de causas actuais, pois que certos seres, se modificam, em contacto com meios diferentes. EX. Um batráquio que tenha sido gerado fora da luz, se for levado para esta, deixa de ser cego. Readquirindo a visão, e a sua pele antes não pigmentada, pigmenta-se e passa de vivíparo a ovíparo. III _ O erro Antropomórfico consiste em não poder-mos afirmar, como o darwinismo quer, que certos caracteres que considera úteis, nos animais podem não sê-lo na realidade. Ao mesmo tempo que não se pode dizer que certos órgãos e caracteres cuja função desconhecemos, são inúteis e destituídos de função.

IV _ Contra a selecção natural. Poder-se-á afirmar que há selecção natural

Dos mais fortes e aptos quando certos indivíduos de uma espécie são aniquilados dentro do ovo? Tomaram eles alguma parte na luta pela vida?

Haverá selecção natural na guerra, onde, regra geral, os mais fortes encontram a morte e os mais fracos e covardes se salvam.?     

 

 

 

 

 

 

 

                                                        

 

 


publicado por Fisga às 17:54
link do post | comentar | favorito

.quem sou eu


. ver perfil

. seguir perfil

. 40 seguidores

.pesquisar

 

.Agosto 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.arquivos

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Setembro 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.tags

. todas as tags

.favoritos

. UMA FOTOGRAFIA DE ALICE B...

. QUE SEJA, ENTÃO, PARA SEM...

. OBRIGADA, TAMBÉM POR ISTO...

. ALGUNS BRITOS E SOUSAS

. GRANDE MERGULHO

. No mistério do sem fim

. Viver como as flores

. Dia dos namorados

. Queria ser a força...

. Letras de canções -Lança ...

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds